Árvores do Piauí

Angelim

Família: Fabaceae Faboideae

Nomes populares: Angelim de morcego, Angelim amargoso, Angelim pedra, Angelim do campo.

Características: Árvore de médio porte, 14 a 18 metros de altura, com belíssima floração entre roxo e rosa, que dura poucos dias. Folhas imparipinadas, folíolos de 10 cm. Fruto redondo, 4 a 6 cm diâmetro, verde e duro, mesmo quando maduro.

Utilidades: Própria para arborização urbana. Melífera. Frutos atrativos para a fauna, mamíferos terrestres e morcegos.

Época de floração e frutificação: Floresce aproximadamente de Julho a Agosto, os frutos permanecem na árvore muitos meses, caindo um pouco antes da floração. ( fotos tiradas no dia 28 de março de 2013).

Umbuzeiro

 Umbuzeiro ou Imbuzeiro – Spondias tuberosa, L., Anacardiaceae,árvore de pequeno porte (mede até seis metros de altura) de copa larga (até quinze metros de largura) originária dos chapadões semi-áridos do Nordeste brasileiro, que se destaca por sombra e aconchego. Nos tempos do BrasilColônia era chamado de ambu, imbu,ombu, corruptelas da palavra tupi-guarani “y-mb-u”, que significava “árvore-que-dá-de-beber” (embora haja a possibilidade de que seja, de fato, uma palavra de origem Kariri[1]).

Dada a importância de suas raízes, foi chamada “árvore sagrada do Sertão” por Euclides da Cunha. Sua raiz conserva água e produz uma batata, que em época de grande estiagem, é utilizada como alimento. O Umbuzeiro vive mais ou menos 100 anos, e é um símbolo de resistência.

Suas folhas, de grande valor alimentício, com gosto “azedinho”, também são usadas como alimento pelos seres humanos. O fruto do umbuzeiro é denominado umbu.

Fruto muito apreciado e consumido, tanto pelo homem como pela fauna, o umbu possui um caroço revestido por uma suculenta polpa e, na superfície, por uma película esverdeada, tendendo, à medida que amadurece, para a cor amarela. O umbu tem, em média, de três a quatro centímetros de diâmetro.

Muito rico em vitamina Ce com característico sabor azedinho, o umbu, além de ser consumido ao natural, é utilizado em preparos culinários, como sorvetes, geléias, doces e umbuzada, iguaria preparada com leite e açúcar, muito apreciada no nordeste. http://pt.wikipedia.org/wiki/Umbuzeiro
http://www.seagri.ba.gov.br/Umbuzeiro.htm

Pau d’Arco (Ipê-amarelo)

O Ipê amarelo é uma árvore brasileira heliófita, considerada a árvore símbolo do Brasil (Em 1961, Jânio Quadros declarou o Ipê amarelo como a flor nacional).

Nome científico : Tabebuia.
Nomes populares : Ipê Amarelo, Ipê branco, ipê do cerrado, pau d’arco.
Família: Bignoniaceae. Planta secundária de tamanho grande chegando até 20 m de altura. Com floração abundante que desabrocham de agosto a novembro. Ipê é uma palavra de origem tupi, que significa árvore cascuda. É produtora de excelente madeira, além de ser belíssima ornamental.

Pereiro

Pereiro (Aspidosperma pyrifolium) é uma árvore nativa da caatinga nordestina, principalmente em várzeas fluviais e terrenos próximos a elevações de terra.
Características
Árvore de tamanho médio, com 7-8 m de altura, lactescente, com caule bem desenvolvido, ereto e de copa normal em ambientes não degradados. 
Casca de sabor amargo, lisa, acinzentada, com lenticelas brancas quando jovem, e rugosa, largando em placas irregulares quando idosa
Folhas simples, alternas, ovais, de 4-9 cm de comprimento, amargosas e coriáceas

Flores aglomeradasem pequenas cimeiras terminais, alvas, pequenas, de perfume muito agradável, que se espalha pela caatinga.

Frutos lenhosos, em forma de gota achatada, de 5-6 cm de comprimento, castanho-claros, rico em lenticelas de cor cinza (pequenos pontos), que abrem-se na sua deiscência em duas bandas e deixam cair as sementes aladas, planas, papiráceas (com projeções que lembram folhas de papel), sendo assim, levadas a longas distâncias
Foto 19

Madeira de cor amarelo-clara ou creme, ora com manchas avermelhadas, ora com faixas acastanhadas, moderadamente pesada, macia e fácil de trabalhar, de textura fina e uniforme, resistente e muito durável. http://pt.wikipedia.org/wiki/Pereiro_(%C3%A1rvore

Mandacaru

Sugestão de leitura:

Andrade, Cássia Tatiana. Um estudo etnobotânico da conexão Homem/Cactaceae no Semi-Árido Baiano, 2002. 102f.

Juazeiro

Pajeú (Triplaris gardneriana)

 

Caatingueira (Poincianella pyramidalis (Tul.) 

Jurubeba (Solanum paniculatum L)

 Mulungu

8 thoughts on “Árvores do Piauí

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *